Skip to content

Para Além da Rapidez

ViteConf 2023

Assistir a repetição!

Opções Partilhadas

root

  • Tipo: string
  • Predefinido como: process.cwd()

O diretório raiz do projeto (onde o index.html está localizado). Pode ser um caminho absoluto, ou um caminho relativo ao diretório de trabalho atual.

Consulte Raiz do Projeto por mais detalhes.

base

O caminho público de base quando servido em desenvolvimento ou produção. Os valores válidos incluem:

  • Nome do caminho da URL absoluta, por exemplo /foo/
  • URL completa, por exemplo https://foo.com/ (A parte da origem não será usada em desenvolvimento)
  • Sequência de caracteres vazia ou ./ (para o implementação de produção embutida)

Consulte Caminho de Base Pública por mais detalhes.

mode

  • Tipo: string
  • Predefinido como: 'development' para servir, 'production' para construir

A especificação disto na configuração sobreporá o modo padrão para tanto servir e construir. Este valor também pode ser sobreposto através da opção --mode da linha de comando.

Consulte Variáveis de Ambiente e Modos por mais detalhes.

define

  • Tipo: Record<string, string>

Define as substituições de constante global. As entradas serão definidas como globais durante o desenvolvimento e substituídos estaticamente durante a construção.

A Vite usa as definições da esbuild para realizar substituições, assim as expressões de valor devem ser uma sequência de caracteres que contém um valor serializável de JSON (null, boolean, number, string, array, ou object) ou um único identificador. Para valores que não são sequência de caracteres, a Vite converterá automaticamente para uma sequência de caracteres com JSON.stringify.

Exemplo:

js
export default defineConfig({
  define: {
    __APP_VERSION__: JSON.stringify('v1.0.0'),
    __API_URL__: 'window.__backend_api_url',
  }
})

NOTA

Para os utilizadores de TypeScript, certifiquem-se de adicionar as declarações de tipo no ficheiro env.d.ts ou vite-env.d.ts para obterem as verificações de tipo e o sensor inteligente.

Exemplo:

ts
// vite-env.d.ts
declare const __APP_VERSION__: string

plugins

  • Tipo: (Plugin | Plugin[] | Promise<Plugin | Plugin[]>)[]

Vetor de extensões à usar. As extensões falsas são ignoradas e os vetores de extensões são aplanados. Se uma promessa for retornada, seria resolvida antes da execução. Consulte a API de Extensão por mais detalhes sobre as extensões da Vite.

publicDir

  • Tipo: string | false
  • Predefinido como: "public"

Diretório para servir como recursos estáticos simples. Os ficheiros neste diretório são servidos no / durante o desenvolvimento e copiados para a raiz da outDir durante a construção, e são sempre servidos ou copiados como estão sem transformação. O valor pode ser ou um caminho absoluto do sistema de ficheiro ou um caminho relativo à raiz do projeto.

A definição de publicDir como false desativa esta funcionalidade.

Consulte O Diretório public por mais detalhes.

cacheDir

  • Tipo: string
  • Predefinido como: "node_modules/.vite"

Diretório para guardar ficheiros de consulta imediata. Os ficheiros neste diretório são dependências pré-empacotadas ou outros ficheiros de consulta imediata gerados pela Vite, os quais podem melhorar o desempenho. Nós podemos usar a opção --force ou eliminar manualmente o diretório para regenerar os ficheiros de consulta imediata. O valor pode ser ou um caminho absoluto do sistema de ficheiro ou um caminho relativo a raiz do projeto. Predefinida para .vite quando nenhum package.json for detetado.

resolve.alias

  • Tipo:Record<string, string> | Array<{ find: string | RegExp, replacement: string, customResolver?: ResolverFunction | ResolverObject }>

Será passada ao @rollup/plugin-alias como sua opções de entradas. Pode ser ou um objeto, ou um vetor de pares { find, replacement, customResolver }.

Quando definirmos pseudónimos aos caminhos do sistema de ficheiro, sempre usamos os caminhos absolutos. Os valores de pseudónimos relativos serão usados como estão e não serão resolvidos nos caminhos do sistema de ficheiro.

Resolução personalizada mais avançada pode ser alcançada através da extensões.

Usando com a Interpretação do Lado do Servidor

Se tivermos configurado pseudónimos para dependências expostas da interpretação do lado do servidor, podemos querer atribuir pseudónimo os pacotes do node_modules de verdade. Ambos Yarn e pnpm suportam a atribuição pseudónimos através do prefixo npm:.

resolve.dedupe

  • Tipo: string[]

Se tivermos cópias duplicadas da mesma dependência na nossa aplicação (provavelmente devido ao içamento ou pacotes ligados nos mono-repositórios), usamos esta opção para forçar a Vite à resolver sempre as dependências listadas à mesma cópia (a partir da raiz do projeto).

Interpretação do Lado do Servidor + Módulo de ECMAScript

Para construções da interpretação do lado do servidor, a eliminação de duplicações não funciona para saídas da construção de módulo de ECMAScript configuradas a partir de build.rollupOptions.output. Uma solução é usar as saídas da construção de CJS até o módulo de ECMAScript tiver suporte de extensão melhor para o carregamento de módulo.

resolve.conditions

  • Tipo: string[]

Além das condições permitidas quando resolvemos as Exportações Condicionais dum pacote.

Um pacote com exportações condicionais pode ter o seguinte campo exports no seu package.json:

json
{
  "exports": {
    ".": {
      "import": "./index.mjs",
      "require": "./index.js"
    }
  }
}

Aqui, import e require são "condições". As condições podem ser encaixados e devem ser especificados a partir do mais específico ao menos específico.

A Vite tem uma lista de "condições permitidas" e corresponderá a primeira condição que está na lista permitida. As condições permitidas padrão são: import, module, browser, default, e production/development baseado no modo atual. A opção de configuração resolve.conditions permite especificar condições permitidas adicionais.

Resolução das Exportações do Sub-caminho

As chaves de exportação que terminam com "/" está depreciada pela Node e podem não funcionar bem. Contacte o autor do pacote para usar padrões de sub-caminho *.

resolve.mainFields

  • Tipo: string[]
  • Predefinido como: ['browser', 'module', 'jsnext:main', 'jsnext']

A lista de campos no package.json para experimentar quando resolvemos um ponto de entrada do pacote. Nota que isto recebe menor prioridade do que as exportações condicionais resolvidas a partir do campo exports: se um ponto de entrada for resolvido com sucesso a partir do exports, o campo principal será ignorado.

resolve.extensions

  • Tipo: string[]
  • Predefinido como: ['.mjs', '.js', '.mts', '.ts', '.jsx', '.tsx', '.json']

A lista de extensões de ficheiro para experimentar em importações que omitem as extensões. Nota que NÃO é recomendado omitir as extensões em tipos de importação personalizadas (por exemplo, .vue), já que isto pode interferir com o ambiente de desenvolvimento integrado e o suporte de tipo.

  • Tipo: boolean
  • Predefinido como: false

A ativação desta definição faz com que a Vite determine a identidade do ficheiro de acordo com o caminho do ficheiro original (isto é, o caminho sem as seguintes ligações simbólicas) ao invés do caminho do ficheiro verdadeiro (isto é, o caminho depois das seguintes ligações simbólicas).

html.cspNonce

Um marcador de posição do valor de código de acesso que será usado ao gerar marcadores de programa ou estilo. A definição deste valor também gerará uma marcador de meta com o valor de código de acesso.

css.modules

  • Tipo:

    ts
    interface CSSModulesOptions {
      getJSON?: (
        cssFileName: string,
        json: Record<string, string>,
        outputFileName: string,
      ) => void
      scopeBehaviour?: 'global' | 'local'
      globalModulePaths?: RegExp[]
      exportGlobals?: boolean
      generateScopedName?:
        | string
        | ((name: string, filename: string, css: string) => string)
      hashPrefix?: string
      /**
       * default: undefined
       */
      localsConvention?:
        | 'camelCase'
        | 'camelCaseOnly'
        | 'dashes'
        | 'dashesOnly'
        | ((
            originalClassName: string,
            generatedClassName: string,
            inputFile: string,
          ) => string)
    }

Configura o comportamento dos módulos de CSS. As opções são passadas ao postcss-modules.

Esta opção não surte qualquer feito quando usamos CSS Relâmpago. Se ativada, css.lightningcss.cssModules deve ser usado.

css.postcss

  • Tipo: string | (postcss.ProcessOptions & { plugins?: postcss.AcceptedPlugin[] })

Incorpora a configuração de PostCSS ou um diretório personalizado a partir do qual procurar a configuração do PostCSS (o padrão é a raiz do projeto).

Para a configuração de PostCSS em linha, espera o mesmo formato que o postcss.config.js. Mas para a propriedade plugins, apenas o formato de vetor pode ser usado.

A procura é feita usando o postcss-load-config e apenas os nomes de ficheiro de configuração suportados são carregados.

Nota que se uma configuração em linha for fornecida, a Vite são procurará por outras fontes de configuração de PostCSS.

css.preprocessorOptions

  • Tipo: Record<string, object>

Especifica opções à passar aos pré-processadores de CSS. As extensões de ficheiro são usadas como chaves para as opções. As opções suportadas para cada pré-processador pode ser encontrada na sua respetiva documentação:

  • sass/scss - Opções.
  • less - Opções.
  • styl/stylus - Apenas a opção define é suportada, a qual pode ser passada como um objeto.

Por exemplo:

js
export default defineConfig({
  css: {
    preprocessorOptions: {
      less: {
        math: 'parens-division',
      },
      styl: {
        define: {
          $specialColor: new stylus.nodes.RGBA(51, 197, 255, 1),
        },
      },
    },
  },
})

css.preprocessorOptions[extension].additionalData

  • Tipo: string | ((source: string, filename: string) => (string | { content: string; map?: SourceMap }))

Esta opção pode ser usada para injetar código adicional para cada conteúdo de estilo. Nota que se incluirmos os estilos de fato e não apenas variáveis, estes estilos serão duplicados no pacote final.

Exemplo:

js
export default defineConfig({
  css: {
    preprocessorOptions: {
      scss: {
        additionalData: `$injectedColor: orange;`,
      },
    },
  },
})

css.preprocessorMaxWorkers

  • Experimental: Comentar nas Discussões
  • Tipo: number | true
  • Predefinido como: 0 (não cria quaisquer operários e executa na linha principal)

Se esta opção for definida, os pré-processadores da CSS executarão nos operários quando possível. true significa que o número das CPUs menos 1.

css.devSourcemap

  • Experimental: Comentar
  • Tipo: boolean
  • Predefinido como: false

Se for verdadeiro ativa os mapas de código-fonte durante o desenvolvimento.

css.transformer

  • Experimental: Comente
  • Tipo: 'postcss' | 'lightingcss'
  • Predefinido como: 'postcss'

Seleciona o motor usado para o processamento de CSS. Consulte a CSS Relâmpago por mais informação.

Duplicação de @import

Notemos que postcss (postcss-import) tem um comportamento diferente com @import duplicado a partir dos navegadores. Consultar postcss/postcss-import#462.

css.lightningcss

js
import type {
  CSSModulesConfig,
  Drafts,
  Features,
  NonStandard,
  PseudoClasses,
  Targets,
} from 'lightningcss'
js
{
  targets?: Targets
  include?: Features
  exclude?: Features
  drafts?: Drafts
  nonStandard?: NonStandard
  pseudoClasses?: PseudoClasses
  unusedSymbols?: string[]
  cssModules?: CSSModulesConfig,
  // ...
}

Configura a CSS Relâmpago. As opções de transformação completa podem ser encontradas no repositório da CSS Relâmpago.

json.namedExports

  • Tipo: boolean
  • Predefinido como: true

Se for verdadeiro suporta as importações nomeadas a partir de ficheiros .json.

json.stringify

  • Tipo: boolean
  • Predefinido como: false

Se definido para true, o JSON importado será transformado em export default JSON.parse("...") o que é significativamente mais otimizado do que literais de Object, especialmente quando o ficheiro JSON for grande.

A ativação disto desativa as importações nomeadas.

esbuild

  • Tipo: ESBuildOptions | false

ESBuildOptions estende as opções de transformação do próprio esbuild. O caso de uso mais comum é a personalização de JSX:

js
export default defineConfig({
  esbuild: {
    jsxFactory: 'h',
    jsxFragment: 'Fragment'
  }
})

Por padrão, a esbuild é aplicada aos ficheiros ts, jsx, tsx. Nós podemos personalizar isto com esbuild.include e esbuild.exclude, as quais pode, ser uma expressão regular, um padrão picomatch, ou um vetor de ambos.

Além disto, também podemos usar esbuild.jsxInject para injetar automaticamente importações auxiliares de JSX para cada ficheiro transformado pela esbuild:

js
export default defineConfig({
  esbuild: {
    jsxInject: `import React from 'react'`
  }
})

Quando build.minify for true, todas otimizações de compactação são aplicadas por padrão. Para desativar certos aspetos disto, definimos quaisquer uma das opções esbuild.minifyIdentifiers, esbuild.minifySyntax, ou esbuild.minifyWhitespace para false. Nota que a opção esbuild.minify não pode ser usada para sobrepor a build.minify.

Definimos para false para desativar as transformações da esbuild.

assetsInclude

Especifica padrões de picomatch adicionais à serem tratado como recursos estáticos para:

  • Eles sejam excluídos a partir da conduta de transformação de extensão quando referenciados a partir do HTML ou diretamente requisitados sobre fetch ou XHR.

  • A importação deles a partir da JavaScript retornará as suas sequências de caracteres de URL resolvidas (isto pode ser sobrescrito se tivermos uma extensão enforce: 'pre' para manipular o tipo de recurso de maneira diferente).

A lista de tipo de recurso embutido pode ser encontrada no node/constants.ts.

Exemplo:

js
export default defineConfig({
  assetsInclude: ['**/*.gltf'],
})

logLevel

  • Tipo: 'info' | 'warn' | 'error' | 'silent'

Ajusta a verbosidade da saída da consola. O padrão é 'info'.

customLogger

  • Tipo:

    ts
    interface Logger {
      info(msg: string, options?: LogOptions): void
      warn(msg: string, options?: LogOptions): void
      warnOnce(msg: string, options?: LogOptions): void
      error(msg: string, options?: LogErrorOptions): void
      clearScreen(type: LogType): void
      hasErrorLogged(error: Error | RollupError): boolean
      hasWarned: boolean
    }

Usa um registador personalizado para registar mensagens. Nós podemos usar a API createLogger da Vite para obter o registador padrão e personalizá-lo para, por exemplo, mudar a mensagem ou filtrar certos avisos.

ts
import { createLogger, defineConfig } from 'vite'

const logger = createLogger()
const loggerWarn = logger.warn

logger.warn = (msg, options) => {
  // Ignorar o aviso de ficheiros de CSS vazios
  if (msg.includes('vite:css') && msg.includes(' is empty')) return
  loggerWarn(msg, options)
}

export default defineConfig({
  customLogger: logger,
})

clearScreen

  • Tipo: boolean
  • Predefinido como: true

Definimos para false para impedir a Vite de limpar o tela do terminal quando registamos certas mensagens. Através da linha de comando, usamos --clearScreen false.

envDir

  • Tipo: string
  • Predefinido como: root

O diretório a partir do qual os ficheiros .env são carregados. Pode ser um caminho absoluto, ou um caminho relativo a raiz do projeto.

Consulte Ficheiros de Configuração de Ambiente por mais detalhes sobre ficheiros de ambiente.

envPrefix

  • Tipo: string | string[]
  • Predefinido como: VITE_

As variáveis de ambiente começando com envPrefix serão expostas ao código-fonte do nosso cliente através de import.meta.env.

NOTAS DE SEGURANÇA

O envPrefix não deve ser definido como '', o que exporá todas as nossas variáveis de ambiente e causará vazamentos inesperados de informações sensíveis. A Vite lançará um erro quando detetar ''.

Se gostaríamos de expor uma variável não prefixada, podemos usar define para a expor:

js
define: {
  'import.meta.env.ENV_VARIABLE': JSON.stringify(process.env.ENV_VARIABLE)
}

appType

  • Tipo: 'spa' | 'mpa' | 'custom'
  • Predefinido como: 'spa'

Se a nossa aplicação for uma aplicação duma única página, uma aplicação de várias páginas, ou uma aplicação personalizada (interpretação do lado do servidor e abstrações com a manipulação de HTML personalizada):

  • 'spa': inclui intermediário de retrocesso de aplicação duma única página e configura sirv com single: true na pré-visualização
  • 'mpa': inclui intermediários de HTML
  • 'custom': não inclui intermediários de HTML

Saiba mais no Guia de Interpretação do Lado do Servidor da Vite. Relacionado ao server.middlewareMode.

Lançada sob a Licença MIT. (1fcc5b41)